domingo, 18 de novembro de 2018

Roteiro Turístico Biográfico - Rafael Bordalo Pinheiro / Lisboa - PT

Rafael Bordalo Pinheiro é uma das personalidades emblemáticas de Lisboa. A cidade está intimamente relacionada à sua biografia. A Lisboa do final do século XIX é retratada de forma humorística e crítica nas obras do artista lisboeta da gema. 


Foi possível conferir in loco muitos desses lugares durante o tour "Passear na Lisboa de Bordalo" promovido pelo Museu Bordalo Pinheiro e pelo EGEAC. Este tour acontece sempre no último sábado do mês. O próximo acontecerá no próximo sábado dia 24/11. Maiores informações no link abaixo.


O tour iniciou no Largo Rafael Bordalo Pinheiro, antigo Largo da Abegoaria. Ele morou no imóvel localizado no atual número 28. Foi neste endereço que ele morreu aos 58 anos em 23 de janeiro de 1905.



Bordalo era um assíduo frequentador do Teatro São Carlos e em 1894 foi responsável pela decoração do palco do teatro. Também realizou diversas ilustrações do teatro, algumas para divulgar eventos como o gala de beneficência a favor dos albergues noturnos.



Em 1894, Bordalo realizou a decoração azulejar da Tabacaria Mônaco, no Rossio. Este foi outro ponto de parada do tour que também está representado nas ilustrações do artista.




O tour segue para o restaurante Leão D`Ouro. Este é o lugar onde surgiu o Grupo do Leão, o qual Bordalo integra em 1880. Fazia parte deste grupo artistas que tentavam mudar o rumo da pintura portuguesa da época, entre eles José Malhoa e Columbano Bordalo Pinheiro, irmão de Bordalo. Em 1895, Bordalo criou um painel decorativo para o restaurante. 



O humor crítico das obras de Bordalo o levou algumas vezes ao antigo Tribunal da Boa Hora, além de questões financeiras. Por isso, ele criou uma ilustração na qual ele monta um quiosque em frente ao tribunal para facilitar essas idas e não atrasar o seu trabalho. Um artista muito espirituoso!



A próxima parada do tour é o edifício dos Paços do Concelho, na Praça do Município. Bordalo ilustrou a fachada do edifício devido à polêmica do desenho de uma figura nua no "frontão" clássico.



O tour finaliza no Terreiro do Paço, mas existem muitos outros lugares de Lisboa marcados pela biografia de Bordalo. Abaixo, algumas sugestões para completar essa experiência turístico-biográfica! 


Um imperdível lugar para visitação é o Museu Bordalo Pinheiro. Segundo a EGEAC, este foi o primeiro museu em Portugal a ser construído de raiz para albergar a obra de um artista. Foi fundado em 1916 por Cruz de Magalhães, grande admirador de Bordalo. No museu é possível adquirir o livro Lisboa de Bordalo que contem as ilustrações mostradas anteriormente e muito mais.








Bem próximo ao Museu Bordalo Pinheiro está localizado o Museu de Lisboa. O jardim deste museu é nomeado em homenagem a Bordalo. Nele se encontram diversas peças em cerâmica de diferentes animais em tamanho sobredimensionado. 








Além de Lisboa, a cidade de Caldas da Rainha também é praticamente um museu a céu aberto do Bordalo. No próximo post, relataremos a visita às Caldas de Bordalo! Até a próxima! Obrigado!
  





sábado, 25 de agosto de 2018

Roteiro Turístico Biográfico II - Charles Darwin / Cabo Verde

"Darwin em Santiago, ao serviço do turismo. O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios – (em 2017) sob o signo de Patrimônio e Turismo Sustentável – foi a data escolhida pela Rosa de Porcelana Editora para lançar o seu mais recente título, que inaugura a coleção Ponto Cardeal. “Cabo Verde – O Despertar de Darwin”, da autoria de António Correia e Silva e Zelinda Cohen, surge com o propósito de aproveitar o patrimônio histórico nacional para a aposta numa nova faceta do turismo.
Percorrer Santiago a partir de uma perspectiva histórica, refazendo os caminhos de Charles Darwin no sul da ilha onde fez a primeira escala da célebre viagem do Beagle, aquela que seria crucial para todo o seu trabalho científico e que viria a resultar na sua revolucionária teoria exposta na obra “ A Origem das Espécies”.
Este foi o mote para a escrita de “Cabo Verde – O Despertar de Darwin”, um livro de pequena dimensão mas de grandes ambições no dizer de António Correia e Silva que com a esposa, Zelinda Cohen, assina a obra.
O convite partiu da empresa turística SandyMar e nasce de “uma ambição de divulgação histórica” ao serviço do turismo". Matéria completa no site Expresso das Ilhas, no link abaixo.




segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Roteiro Turístico Biográfico - Amália Rodrigues / Lisboa - PT

Conhecer um pouco de Lisboa através da história de vida de Amália Rodrigues é um programa imperdível! Diversos pontos da cidade estão intimamente relacionados à biografia da Rainha do Fado.  Não poderia ser diferente, pois ela nasceu e morreu em Lisboa. Realizamos o roteiro turístico biográfico Amália Rodrigues - Rainha do Fado com o Lisboa Cultura - Itinerários. Um belo roteiro, entre tantos outros, e com preço super acessível. Compartilhamos alguns registros do tour e também de também de outros pontos visitados por contra própria. 


O primeiro ponto visitado foi o Café Luso, localizado no Bairro Alto. Esta é a casa de fado mais antiga de Lisboa com 90 anos de história. O Café Luso nasceu na Avenida Liberdade, onde esteve sediado até 1937. Somente em 1941, mudou para o atual endereço. Foi uma das primeiras casas de fado que Amália se apresentou profissionalmente e com um alto cachê, que nunca tinha sido pago a nenhuma fadista. Um dos álbuns mais populares de Amália foi gravado neste local - Amália no Café Luso, em 1974.



Outra clássica casa de fado que Amália frequentava e atuava é a Adega Machado. Também foi fundada em 1937 e possui uma bela fachada iconográfica, do artista plástico Thomaz de Mello. Abaixo, vídeo de uma apresentação de Amália nesta casa de fado, em 1989.



  

Seguimos para a Discoteca Amália, uma loja especializada em fado. Obviamente, não poderia ter outro nome senão o da Rainha do Fado! A obra dela está em total destaque na loja, inclusive com uma espécie de altar.




O tour com o Lisboa Cultura - Itinerários foi finalizado na Mouraria, porém continuamos nessa viagem biográfica por outros importantes pontos. Não poderíamos deixar de conhecer a casa onde nasceu Amália Rodrigues, na rua Martins Vaz, 86. 





Outro ponto que vale a pena ser visitado é o mural em calçada portuguesa do artista Vhils em homenagem a Amália. O mural, que foi inaugurado em 2015, está localizado na rua de São Tomé, 62. Celeste Rodrigues, que faleceu recentemente, esteve presente na inauguração.



Não muito distante deste ponto está o Panteão Nacional, local onde Amália está sepultada. Ela faleceu em 1999 e foi enterrada no Cemitério dos Prazeres. Porém, em 2001, foi trasladada para o Panteão. Foi a primeira mulher e primeira artista das artes do espetáculo a ocupar um lugar onde repousam os heróis nacionais. Super merecido! 




Para finalizar o tour, seguimos para a rua de São Bento, 193. Este foi o endereço oficial de Amália entre 1955 até a sua morte. Hoje, abriga a sede da Fundação Amália Rodrigues. Grande privilégio poder conhecer por dentro a casa onde morou essa incrível artista. O imóvel sofreu alguns modificações, mas na sua maioria permanece tal qual como Amália deixou. Infelizmente não é possível tirar fotos durante o tour na casa, apenas no piso da recepção. 
  




Esse foi um pouco do dia dedicado à Amália Rodrigues - a Rainha do Fado! Até a próxima viagem biográfica!